quinta-feira, Março 28, 2013

O POLO CALÇADISTA NA REGIÃO DO CARIRI, CEARÁ: UMA APOSTA DE SUCESSO

Muitos exemplos de atividades econômicas que deram certo e que alavancaram a economia de determinadas regiões resultaram do aproveitamento da matéria-prima existente e de estratégias de mercado que incentivaram a realização de diversas atividades. Diante de um favorável cenário econômico, torna-se relevante verificar componentes históricas e sua dinâmica econômica e espacial na região do Cariri cearense, referentes à produção de calçados.
A região do Cariri, localizada aproximadamente a 600 km de Fortaleza, capital do Ceará, apresenta-se como um bom exemplo de como um setor da indústria pode dinamizar toda uma região e se destacar diante de um cenário local, regional, nacional e até internacional. Historicamente, a região é conhecida como um polo calçadista. Acredita-se que no século XIX a produção de sapatos, sandálias e artigos de couro estava ligada diretamente ao aproveitamento do couro proveniente da criação de gado da região Caririense, onde Barbalha, Juazeiro do Norte e Crato são as três principais cidades da região. Durante muitos anos outras atividades também foram desenvolvidas com sucesso nesta região, como, por exemplo, a plantação de cana-de-açúcar e o cultivo do algodão.
Com certo receio de parecer reducionista, apresentamos apenas algumas ações que fizeram parte da historia econômica desta região. Verificamos que a partir da década de 60 as políticas públicas estavam voltadas para o investimento no interior do estado, visto que essa parte do estado estava em desvantagem em relação à capital e à região metropolitana, pois estas ainda concentravam a maior parte da produção de bens e prestação de serviços.
Ainda com a política de interiorização, o Governo, através de incentivos fiscais, possibilitou a instalação de indústrias, inclusive no setor dos calçados, que foram beneficiadas com a isenção de impostos, disponibilização de terrenos, acessa a energia, acesso às principais rodovias, para além da mão de obra barata e qualificada. Acredita-se que esses investimentos por parte do Governo, normalmente exigem em contrapartida que as empresas se comprometam a comprar os insumos (ou grande parte deles) necessários para a produção dos calçados na própria região em que as indústrias se instalam.
Por conta de um novo perfil de fabricação e de usuários, as indústrias modificaram a sua principal matéria-prima, utilizando, por exemplo, o PVC (Policloreto de Vinila) e o Eva (Espuma Vinílica Acetinada) para a fabricação de calçados de borracha e não mais essencialmente de couro. Com essa significativa alteração do material utilizado para a confecção dos calçados, o couro acabou por ficar em segundo plano, porém é ainda muito utilizado nesta região e em todo o país.
Em linhas gerais, em termos de valores, com dados do ano de 2009, sabe-se que o polo calçadista do Cariri empregava cerca de 16 mil pessoas. O complexo industrial é o maior polo produtor do Norte e Nordeste e o terceiro do País. Em 2009, exportou US$ 294,3 milhões, representando cerca de 22% de tudo o que foi exportado pelo setor calçadista do País. 50 milhões de pares de sapatos, ou seja, 39% da produção nacional deixaram o Cariri com um cenário favorável ao mercado estrangeiro.
A grande questão está em saber o porquê deste investimento no Cariri. Acreditamos que as grandes empresas que investem nesta região, para além da questão da mão-de-obra mais barata e minimamente qualificada, beneficiam desta possuir a vantagem de ser um território estrategicamente posicionado, o que permite uma maior facilidade para as exportações. Pois, para além da localização, possui equipamentos, como Aeroportos, Portos e ainda conta com uma rede ferroviária e rodoviária.
Essas dinâmicas propiciam a movimentação monetária por todo o país, seja para a aquisição de insumos seja para a busca por mão-de-obra qualificada, pesquisa de mercado, feiras de negócios, exposições e a busca de novos consumidores.

Ivna Machado

Bibliografia:
BESERRA, F. R. (2007) Espaço, indústria e reestruturação do capital: a indústria de calçados na região do Cariri – Ce. (Dissertação de Mestrado – Universidade Estadual do Ceará - UECE) Fortaleza.
NASCIMENTO, Thiago. (2012) Conhecimento, inovação e políticas de desenvolvimento regional/local: um estudo de caso da Região Metropolitana do Cariri. Artigo do II Colóquio Sociedade, Políticas Públicas, Cultura e Desenvolvimento – CEURCA, ISSN 2316-3089 Universidade Regional do Cariri – URCA. 21p.
NORDESTE, Diário do. (2010) Cariri: polo calçadista avança. [On Line]. Disponível em: http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=828978 Acesso em 19 março de 2013. 

(artigo de opinião produzido no âmbito da unidade curricular "Economia e Política Regional" do Mestrado em Geografia, do ICS/UMinho)

Sem comentários: