segunda-feira, junho 04, 2018

Turismo Espacial

O Turismo Espacial é um fenómeno recente, que consiste em viagens especializadas realizadas por indivíduos que apresentam como objetivo principal o puro lazer. Este tipo de turismo é inovador e não está ao alcance de todos, uma vez que se destina excecionalmente a indivíduos com elevado rendimento. O transporte é assegurado pelo programa espacial russo, em parceria com a empresa norte americana Space Adventures.
Além do avultado investimento a ser realizado para a viagem, o candidato a turista espacial precisa de cumprir um conjunto de testes a nível físico como psicológico, ou seja, pode ser reprovado e impedido de viajar caso apresente alguma anomalia ou deficiência em qualquer etapa de treino, sendo este efetuado na “Cidade das Estrelas” (área do programa espacial russo). Nesta cidade, é realizado um treino intensivo em que são simuladas as condições de adaptação à microgravidade encontrada nas aeronaves espaciais em órbita.
Quais são os objetivos do turismo espacial?
O turismo espacial é um passo importante que marca o séc. XXI, tal como o turismo aéreo marcou o séc. XX. Entre 2001 e 2011, o turismo espacial estava interligado com as viagens científicas, ou seja, os milionários pagavam uma fortuna para viajarem juntamente com os astronautas. O início dessa tendência começou em 2001, quando o primeiro turista espacial, o americano Denis Tito, desembolsou 20 milhões de dólares para acompanhar os astronautas numa viagem com fins científicos.
Até o momento, pouco menos de uma dezena de milionários participaram nas viagens ao espaço. Atualmente, a ideia passa por desvincular as viagens ao espaço dos fins científicos e que possam realmente ser feitas com o intuito de lazer. O turismo espacial está prestes a ser popularizado, originando um maior número de participantes e de viagens.
As principais atrações no turismo espacial são a experiência em si, a fantástica sensação de observar o planeta Terra desde o espaço, a elevação do status quo (“eu estive no espaço”), e as vantagens da ausência de gravidade, por exemplo, o potencial para desportos extremos e benefícios na saúde, sobretudo para pessoas mais idosas.
O que é necessário fazer para ir ao espaço?
Desde já, é necessário muito dinheiro, por isso só alguns magnatas conseguiram fazer a viagem ao espaço por meio de companhias americanas e russas.
Como ir ao espaço atualmente?
O novo turismo espacial prevê que as viagens sejam feitas já em 2018, em aeronaves próprias para esse tipo de viagem, estando a cargo da empresa Virgin Galactic. Em 2016, esta empresa recebeu o licenciamento para as viagens comerciais ao espaço.
 As primeiras 700 passagens já foram vendidas e têm um custo a rondar os 250 mil dólares. Contrariamente aos voos científicos, haverá voos suborbitais a 100 km de altitude, sendo que os viajantes poderão sentir a falta de gravidade, e assim visualizarem o planeta Terra numa perspetiva completamente diferente do habitual (curvatura do planeta).
Nas viagens já vendidas pela Virgin Galactic, o perfil dos viajantes não deixa de ser algo curioso, uma vez que existem clientes de todas as idades, inclusive crianças de 10 anos. Deste modo, é possível viajar ao espaço sem qualquer limite etário.
As viagens ao espaço são um fenómeno relativamente recente, que já aconteceram e que, atualmente, ganham cada vez mais força, dado o forte investimento das empresas e organizações, que estão colaborando em projetos civis para enviar pessoas ao espaço. Assim, os indivíduos sairão beneficiados, pois um maior número de empresas significa que as viagens serão mais acessíveis aos bolsos de mais consumidores.

Marcos Andrade

(Artigo de opinião produzido no âmbito da unidade curricular “Economia do Turismo”, de opção, lecionada a alunos de vários cursos de mestrado da EEG, a funcionar no 2º semestre do ano letivo 2017/2018)

Sem comentários: